Eu Faço a Diferença, e você?

Muitas pessoas pensam que para dar aula basta ficar em frente aos alunos e explicar toda a matéria. Outros, que disponibilizar e dedicar seu sábado é perda de tempo. No entanto, poucos sentem o que os professores desse projeto sentem: orgulho de fazer algo a mais pelo próximo. Fazer diferença para algumas pessoas não só educacionalmente, mas socialmente.

Os professores do Matemática em Movimento precisam fazer suas aulas, selecionar exercícios, pensar no tempo em que cada exercício demorará a ser resolvido, criar a lição de casa e posso dizer que não é fácil. Além das imprevistas situações que ocorrem no decorrer da aula, cada um tem uma deficiência pontual no aprendizado e essa deve ser levada em conta ao montarmos a aula para melhor atendermos a todos.

Após muitos trâmites de revisão e correção de nossas aulas junto ao Coordenador Pedagógico e colegas, chega o momento de ficar na frente destes alunos que tomam você como referência naquele momento. Importante momento. O que farei? O que irei dizer? Preciso prender a atenção deles e fazer com que percam o medo da matemática, que tomem gosto, que aprendam.

Tudo começa com um bom dia. Afinal, todo dia é um bom dia para ensinar e aprender. Apresentações à parte, inicio a aula dizendo que aquela seria a minha primeira e que, assim como eles, eu estava nervoso. Todos sorriram. Essa atitude, mesmo que voluntária, me deixou mais a vontade. A partir daí, a aula fluiu super bem com dúvidas das partes dos alunos e conversas descontraídas.

Enquanto observava os alunos fazendo os exercícios de sala, pensei comigo: – que satisfação. Não há algo maior do que transmitir aquele conhecimento que você obteve durante sua vida estudantil e que alguns podem não ter tido acesso. Afinal, como disse um amigo meu, “aquele que aprende e não ensina é como uma nuvem que se forma e não chove”. Enquanto divagava, eis que surgia uma voz feminina, tímida, chamando-me de Professor. Que honra. Na hora sorri e prontamente atendi seu chamado e esclareci sua dúvida.

Momentos como esse transformam o seu sábado em um dia gratificante, satisfatório e que enche a mim e a todos os voluntários do projeto de orgulho. Orgulho de sair de casa pela manhã aos sábados, de fazer algo pelo próximo e pela educação do nosso país. Sabemos que somos apenas uma nuvem chuvosa, mas se existissem mais como essa a seca do ensino brasileiro não seria tão grave em nosso país. Eu faço a diferença, e você?

Print Friendly, PDF & Email